A LOGCARD é uma empresa criada em 2014, voltada a oferecer as melhores soluções de meios de pagamento de frete para os nossos clientes, oferecendo sempre um atendimento superior e serviços da melhor qualidade.


Junto a ANTT(Agência Nacional de Transporte Terrestre) somos homologada para emissão de Pagamento Eletrônico de Frete (PEF) e Vale Pedágio, possuindo um sistema moderno que facilita o trabalho e a rotina dos Transportadores Autônomos de Cargas (TAC), Empresas (ETC) e Cooperativas de Cargas (CTC).

NOSSO COMPROMISSO COM VOCÊ
O nosso principal foco e diferencial é a prestação de serviços, com objetivo de atender bem nossos clientes e parceiros, demonstrando que a LOGCARD é uma empresa moderna, proativa, polivalente e com profissionais qualificados e focados.
MISSÃO
A LOGCARD é uma empresa focada nos segmentos Logísticos, através de meios de pagamentos, comprometida com a excelência no atendimento as necessidades dos seus clientes, sempre priorizando atitudes éticas e respeitosas em seus relacionamentos.

CIOT

Para fins de fiscalização, a ANTT criou o Código Identificador da Operação de Transporte (CIOT), que é uma numeração única para cada contrato de frete, ou seja, é um código numérico obtido por meio do cadastramento da operação de transporte no sistema eletrônico da ANTT via internet, onde serão enviados os dados:
Contratante
TAC
Os valores do frete
Destino
Origem entre outros
Sua função é regulamentar o pagamento do valor do frete referente a prestação do serviço do transporte rodoviário de carga.

Nota: O não atendimento as regras estabelecidas pela ANTT, sujeitarão o TAC ou equiparado às penalidades previstas no art. 21 da Lei nº 11.442, de 2007 (multas)

Vantagens

Opere via site LOGCARD ou integre
APP para acesso do saldo e extrato
Elimina todo o risco de ser autuado pelos órgãos de fiscalização
Pagamento através do cartão LOGCARD Mastercard Internacional e saque nos caixas eletrônicos 24 Horas
Conheça mais sobre a Resolução ANTT n°3.658/11

VALE PEDÁGIO

O Vale-Pedágio foi desenvolvido para atender uma das maiores preocupações do TAC, a desoneração do pagamento ao transportador. Desta forma o embarcador ou equiparado antecipa ao TAC (através da LOGCARD) as despesas com o pedágio, no deslocamento de cargas por meio de transporte rodoviário nas rodovias Municipais, Estaduais e Federais.

O Vale-Pedágio não integra o valor do frete, não será considerado receita operacional ou rendimento tributável, nem constituirá base de incidência de contribuições sociais ou previdenciárias.

Nota: São considerados infratores sujeitos a multa, de acordo com o disposto no art. 5º da Lei nº 10.209, de 2001:

Vantagens

Opção de pagamento:TAG

Economia de combustível e desgaste nos freios

Aceito em 100% das praças de pedágios

Emissão de certificado de compra do Vale Pedágio, atende à Lei do Vale Pedágio
Pode ser utilizado em qualquer rota, mais flexibilidade em caso de contingência

Reduz ou elimina a evasão de pedágio, pois os valores são exclusivos para pagamento de pedágio

Roteirizador para geração de rotas e cálculo dos custos de pedágio ponto a ponto
Conheça mais sobre a Resolução ANTT n° 2.885/08
vale-pedagio
antecipacao-de-recebiveis

ANTECIPAÇÃO DE RECEBÍVEIS

Realizamos a operação financeira que antecipa para as transportadoras os valores referentes às faturas dos fretes prestados para as Embarcadoras, com valores e taxas satisfatórios para atender a sua empresa sem qualquer burocracia.

Por que utilizar?


A linha de crédito fortalece o fluxo de caixa, facilita a reposição das despesas iniciais de combustível, pedágio, alimentação dos motoristas e outros custos relacionadas ao frete; além de ser uma alternativa para Capital de Giro.
Antecipação de recursos futuros de forma ágil e rápida
Melhora o fluxo de caixa
Suprir os recursos financeiros
Análise de crédito flexível, sem burocracia

BANCO DIGITAL

Caro Transportador, sabemos que você não tem tempo para ir ao banco, por isso conte com um banco digital disponível 24 hs na palma da sua mão com o app banco digital, para receber seus fretes,realizar serviços bancários, consultar e realizar seus investimentos, e mais, você que está passando por um momento complicado na sua vida, perdeu o crédito no mercado, e os bancos não querem abrir sua conta, nos temos a solução para você negativado. Por isso a Logpay está preparando um serviço que em breve estará disponível à você.

Por que utilizar nosso banco digital

Abertura de conta grátis
Cartão Pré-Pago MasterCard Internacional com anuidade grátis
Taxa mínima de custódia e de manutenção de conta
banco-digital
Consultas de saldo e extrato pelo celular na hora
Ótima remuneração para seus investimentos
Saques nos caixas eletrônicos 24 horas
Abertura de conta grátis
Cartão Pré-Pago MasterCard Internacional com anuidade grátis
Taxa mínima de custódia e de manutenção de conta
Consultas de saldo e extrato pelo celular na hora
Ótima remuneração para seus investimentos
Saques nos caixas eletrônicos 24 horas

DÚVIDAS FREQUENTES

O transportador Diretamente à ANTT através do site www.antt.gov.br (opção ‘Fale Conosco’) ou pelo telefone 166. Além disso, poderá realizar por meio das Administradoras de Meios de Pagamento habilitadas, listadas no site da ANTT.

De acordo com o parágrafo único do Artº. 2º da Lei nº 10.209 de 23 de março de 2001 o valor do Vale-Pedágio obrigatório e os dados do modelo próprio utilizado deverão constar em campo específico no documento comprobatório de embarque, como segue:

Parágrafo único. O valor do Vale-Pedágio obrigatório e os dados do modelo próprio, necessários à sua identificação, deverão ser destacados em campo específico no documento comprobatório de embarque.

Para efeito do disposto na norma citada, entende-se como documento comprobatório de embarque a nota fiscal, o conhecimento de transporte de carga, a ordem de embarque ou o manifesto de carga.

 

De forma gratuita acessando o site www.logcardbrasil.com , homologada pela ANTT, e digitando os dados diretamente no site da mesma.

Para efetuar o pagamento dos valores de frete aos Autônomos (TAC) e seus Equiparados (Cooperativas e Empresas que possuam até 3 veículos no seu RNTRC), só são considerados válidos o Depósito em Conta e o Pagamento Eletrônico de Frete (PEF) através de uma Administradora homologada pela ANTT.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), através da Resolução ANTT nº 3658, de 19 de abril de 2011 definiu o fim da Carta-frete e criou o Código Identificador da Operação de Transporte (CIOT), que é uma numeração única para cada contrato de frete, autenticada pela ANTT via internet, que deve constar no Contrato de Frete e no CT-e, no caso de subcontratação.

Para gerar o CIOT o contratante deve enviar os dados da contratante e do caminhoneiro, os valores do frete, Indicações da forma de pagamento, destino e origem entre outros, de forma eletrônica para a ANTT, através de uma administradora de meio de pagamento homologada pela agência, e então receberá um número de protocolo de entrega destas informações, que é o CIOT.

O CIOT é exigido do caminhoneiro nas paradas para fiscalização, e no caso do caminhoneiro não ter um documento com um CIOT autorizado pela ANTT, poderá ser multado. As multas podem variar de R$ 550,00 a R$ 10.500,00 para a contratante e caminhoneiro.

É o pagamento dos valores de frete ao terceiro através dos serviços de empresas homologadas pela ANTT, denominadas “Administradoras de Meio Eletrônico de Pagamento de Frete”.

Não, conforme estabelece o art. 4º da Resolução 3.658, do dia 19 de abril de 2011, o pagamento para os Autônomos (TAC)  e Equiparados (pessoa jurídica com até três veículos ou cooperativa) só pode ser feito de duas maneiras: Depósito em conta corrente em nome do autônomo ou outro meio pagamento eletrônico (cartão) fornecido por uma empresa administradora homologada pela ANTT.

Conforme estabelece a resolução ANTT 3658, o contratante deverá gerar CIOT e efetuar o pagamento dos valores de frete através de Depósito em Conta ou de um Meio de Pagamento Homologado pela ANTT, sempre que estiver contratando um TAC (Transportador Autônomo de Cargas) ou um Equiparado (Cooperativas e Empresas que possuem até 3 veículos em sua frota registrados no RNTRC). Por enquanto, a única exceção à regra é quando se contrata ETC (empresas) que possuam mais de 3 veículos registrados no seu RNTRC.

O transportador autônomo passa a ter meios de comprovar sua renda, possibilitando a maior inclusão sócio econômica como, por exemplo, facilidade de acesso a financiamentos

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) já começou a fiscalizar e multar, e quem ainda estiver utilizando carta-frete estará sujeito ao pagamento de multas vão de R$ 550 a R$ 10.500. Outro detalhe importante é que as multas podem ser aplicadas tanto ao contratante (empresa de transporte ou embarcador) como ao caminhoneiro autônomo.

Segundo a Resolução da ANTT, o direito de escolha do meio de pagamento é do contratante. Além disso, ressalta que o pagamento deve ocorrer através dos meios legais estabelecidos (cartão ou crédito em conta corrente) sem custo ao caminhoneiro.

O motorista poderá receber seus créditos (valores de frete, pedágio e combustível) de qualquer empresa que ele preste serviços, desde que elas trabalhem com a mesma administradora. Caso a empresa utilize uma administradora diferente, o motorista só poderá receber se tiver o cartão desta administradora.

Não. Os impostos incidentes sobre a operação são os mesmos já existentes. Ressaltamos que a base de cálculo para incidência da tributação será exclusivamente o valor do frete.

O pagamento do pedágio, por veículos de carga, é de responsabilidade do embarcador, ao qual se equiparam o proprietário originário da carga, o contratante do serviço de transporte rodoviário de carga, ainda que não seja o proprietário originário da carga e a empresa que subcontratar serviço de transporte de carga, prestado por transportador autônomo, conforme estabelece o Art°. 1º da Lei 10.209/01.

 

Art. 1º Fica instituído o Vale-Pedágio obrigatório, para utilização efetiva em despesas de deslocamento de carga por meio de transporte rodoviário, nas rodovias brasileiras.

1º O pagamento de pedágio, por veículos de carga, passa a ser de responsabilidade do embarcador.

2º Para efeito do disposto no § 1º, considera-se embarcador o proprietário originário da carga, contratante do serviço de transporte rodoviário de carga.

3º Equipara-se, ainda, ao embarcador:

I - o contratante do serviço de transporte rodoviário de carga que não seja o proprietário originário da carga;

II - a empresa transportadora que subcontratar serviço de transporte de carga prestado por transportador autônomo.

O referido Vale Pedágio é obrigatório no exercício de atividade de transporte rodoviário de carga, realizado por transportador inscrito no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Carga – RNTRC, por conta de terceiros e mediante remuneração, no deslocamento de cargas por meio de transporte rodoviário nas rodovias brasileiras concedidas à iniciativa privada (sejam elas federais, estaduais ou municipais). 

O Vale-Pedágio obrigatório, instituído pela Lei nº 10.209/01 e regulamentado pela Resolução ANTT nº 2885/08, é a forma do embarcador ou equiparado (ver pergunta: "Quando não há obrigatoriedade de antecipação do Vale-Pedágio obrigatório?") antecipar ao transportador, em modelo próprio, as despesas com o pedágio, no deslocamento de cargas por meio de transporte rodoviário, nas rodovias brasileiras concedidas à iniciativa privada (sejam elas federais, estaduais ou municipais). Este Vale-Pedágio não integra o valor do frete, não será considerado receita operacional ou rendimento tributável, nem constituirá base de incidência de contribuições sociais ou previdenciárias.

De acordo com o Artº. 2º da Lei nº 10.209 de 23 de março de 2001 o valor do Vale Pedágio não integra o valor do frete, como segue:

Art. 2º O valor do Vale-Pedágio não integra o valor do frete, não será considerado receita operacional ou rendimento tributável, nem constituirá base de incidência de contribuições sociais ou previdenciárias.

Conforme estabelece a Lei nº 10.209/2001, regulamentada pela Resolução ANTT nº 2885/2008, a antecipação do Vale-Pedágio é autorizada apenas por meio dos modelos próprios habilitados pela ANTT, não sendo permitida, portanto, a antecipação do valor do Vale-Pedágio em espécie.

Não haverá obrigatoriedade de antecipação do Vale-Pedágio nas seguintes situações: 

01)Veículo rodoviário de carga vazio (desde que não possua contrato que o obrigue a circular vazio no retorno ou ida ao ponto de carga/descarga);

 02) Na realização de transporte com mais de um embarcador ou equiparado (carga fracionada);

 03) No transporte rodoviário internacional de cargas realizado por empresas habilitadas e cuja viajem seja feita em veículo de sua frota autorizada (inclusive no caso de viagem ocasional);

 04) No transporte de carga própria, realizado por veículo ou frota própria. Neste caso o vínculo entre o proprietário do veículo ou da frota com a carga deve estar claramente demonstrado. 

FALE CONOSCO

Nós estamos muito interessados no que você tem a dizer, por isso criamos este espaço especialmente para receber seus comentários, sugestões e esclarecer dúvidas. Escreva pra gente! É fácil, rápido e teremos o maior prazer em responder.

Copyright © 2019 Locard Brasil. Todos os direitos Reservados.
logo-ow